Olá amigo (a) blogueiro a)

Olá amigo (a) blogueiro a)

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Documentário - Ser é Ver Sentir

Documentário - Ser é Ver Sentir





Documentário interessantíssimo que aborda a surdez não como uma deficiência física, mas como uma cultura própria de um grupo que usa a língua de sinais para se comunicar.
Mais do que mãos e olhos envoltos de significantes e enunciações. Um universo visual e gestual se alinha à cultura do olhar. Helayne não entendia as palmas em volta de um bolo com velas acesas. Shirley pensava que todas as crianças eram surdas, não entendia porque moviam a boca. Sentidos incompletos na via paralela dos incompreensíveis decibéis, no entanto, sendo produzidos no poder sideral de registro dos olhos. A surdez que se narra com marcas culturais em relevo. Um documentário que põe o espelho para que os sujeitos surdos definam como se veem. Por meio dos depoimentos, é possível compreender sua experiência linguística e sensorial como domínios da Cultura Surda. Ser surdo é Ver-se, é Sentir-se.






FICHA TÉCNICA:

Título original: SER É VER SENTIR – A surdez falando de si

Direção: Raphael Barbosa / Tiago Crateús

Roteiro: Tiago Crateús

Edição: Carlos Santana

Imagens: Raphael Barbosa

Gênero: Documentário

Ano de produção: 2011 / 2012

Nacionalidade: Brasil

Idiomas: Libras / Português

Legenda: Português / Janela de Libras

Duração: 33 min

Vídeo-documentário disponível em:  www.webtvjuazeiro.uneb.br/?p=1721

(Este é um Trabalho de Conclusão do Curso de Comunicação Social – Jornalismo em Multimeios dos estudantes Raphael Barbosa e Tiago Crateús, orientado pela professora Fabíola Moura da Universidade do Estado da Bahia).

48 comentários:

  1. O documentário "Ser é Ver Sentir", é muito importante para que as pessoas ouvintes compreendam melhor os surdos. Os depoimentos são esclarecedores e nos incentivam a aprender LIBRAS, para poder comunicar com os surdos.

    Alaide Madalena Ferreira.
    Pedagogia - 4° ano - UNIESP.

    ResponderExcluir
  2. O documentário relata a cultura de cada surdo, os surdos não são diferentes de nós,eles retratam através do olhar e dos sentimentos, nós seres humanos preconceituosos achamos que eles não tem sentimentos, não tem cultura,etc, mas eles são iguais a nós,a sociedade deixa a desejar em relação aos deficientes físicos, o documentário nos incentiva a relacionar-se com os surdos de forma amigável e tranquila,fazendo que nós aprendamos a se comunicar com eles.
    Aline Cássia Lopes
    4°Pedagogia
    Uniesp

    ResponderExcluir
  3. O documentário nos traz a ideia de como os surdos se sentem e como muitas vezes são tratados pelas outras pessoas. Para que todos possam entender melhor a linguagem de sinais e o quanto ela é importante para os surdos.
    Suzana Pala
    4º Pedagogia
    Uniesp

    ResponderExcluir
  4. O documentário passado pela professora Andresa mostra o cotidiano dos surdos no mundo que eles vivem,onde que demostra sua vida como ela é e tanbem as suas dificuldades de se relacionar com seu mundo onde que eles sao rotulados pela sociedade por ser pessoas diferentes que na verdade saõ iguais a todos nós ou ate melhores que nos em algumas ocazioes e preconceito geraldo entre todos e na verdade que eles sao na realidade normais como todo mundo a unica coisa que se diferencia de nos e que nao podem ouvir mas sim podem fazer de tudo como todos nos que seu mundo nao e diferente do nosso e igual pois moramos num mundo onde todos nao e melhor que ninguem e sim aceitar que somos humanos e temos que saber conviver sem preconceitos e saber ajudar e entender seu proximo independente de como ele seja.
    Joao Ricardo
    Pedagogia 4 ano
    Uniesp/José Bonifacio

    ResponderExcluir
  5. No documentário "Ser é ver Sentir" assistido no dia 7/8/2013 sobre a língua de sinais, aprendemos sobre a cultura dos surdos onde eles lutaram e continuam lutando para serem reconhecidos como um cidadão comum. Os surdos tem sua própria literatura, livros, poesias, fabulas e histórias, a maneira que eles expressam uma poesia, uma música e etc, é com muito mais intensidade e muito mais emoção que os ouvintes comuns. Eles merecem nosso respeito e reconhecimento, devemos valorizar os surdos como o que realmente eles são, seres humanos comuns. A única diferença entre os surdos e ouvintes é que eles escutam com os olhos e falam com as mãos, o que os torna muito importantes e inteligentes.

    Maria do Carmo de J. M. Lopes 4° ano de Pedagogia

    ResponderExcluir
  6. O documentário mostra como os surdos tem dificuldade de se relacionar no mundo com as outras pessoas, por que elas acabam teno o preconceito de não quer estar perto delas,eles merecem todo respeito da parte de todos por que eles também estão no meio em que vivemos.

    ANDRESA CARLA DA SILVA
    Pedagogia 4 ano
    Uniesp/José Bonifacio

    ResponderExcluir
  7. O documentário que a professora Andresa passou “Ser é Ver Sentir”, é muito importante para que as pessoas ouvintes compreendam melhor os surdos, traz a ideia de como os surdos se sentem e como muitas vezes são tratados pelas outras pessoas. Relata à cultura de cada surdo, os surdos não são diferentes de nós, eles retratam através do olhar e dos sentimentos e nos achamos que eles não têm sentimento.O depoimento foi bem emocionante e faz com que a gente enxergue de outra forma, dando vontade de aprender a cada dia mais libras para comunicarmos com os surdos.


    Lidia Nayara
    Pedagogia 4º ano

    ResponderExcluir
  8. Esse documentário foi muito esclarecedor. Primeiro porque as pessoas ainda pensam nos surdos como pessoas com limitações e de limitados eles não tem nada. Depois é muito importante saber que os surdos em nada difere dos ouvintes, eles apenas tem maneiras diferentes de se comunicar, eles ouvem com os olhos e falam com as mãos.
    Elaine Tripodi
    Pedagogia 4º ano

    ResponderExcluir
  9. No documentário passado pela professora, foi muito importante para que possamos entender melhor o universo dos surdos. Ainda temos muitos preconceitos e precisamos vencê-los a cada dia e foi isso que esse vídeo veio nos mostrar.
    Aparecida Rós
    Pedagogia
    4º ano

    ResponderExcluir
  10. O documentário "Ser é Ver Sentir", relata que muitos de nós (ouvintes), quando falamos de pessoas surdas, logo temos uma visão de pessoas "deficientes", pois não compreendemos o seu interior, as suas experiências como ser humano. A língua de sinais é tão natural para o surdo quanto a nossa fala é para nós, porque neste vídeo vários surdos disserem que não entendiam porque falar com a boca, se o normal (na realidade deles) era usar os gestos para se comunicar. A pessoa surda capta tudo pelo olhar apreciando, valorizando tudo o que está em sua volta, enquanto nós, ouvintes, apenas por ouvir, muitas vezes deixando de lado esse sensibilidade de perceber o que nos rodeia. A comunidade de surdos lutam para que a sociedade os enxergue com outro olhar, como seres autônomos, independentes. Eles são como nós, tem seus gostos, preferências, também tem direitos e deveres como todo cidadão. Não podendo ouvir e consequentemente falar, eles criaram apenas outro meio para se comunicarem, interagindo entre si. Depois de ter assistido esse documentário, pude compreender que o verdadeiro mudo não é aquele que usa a língua de sinais para poder se relacionar, mas sim aquele que não fala, não sente, não se expressa.

    Ingrid Belo de Brito Grano
    4º Ano de Pedagogia

    ResponderExcluir
  11. O documentário nos mostra como é a vida das pessoas surdas... Cada surdo apresentando para nós seus sinais e relatando seus sentimentos, ja que que hoje ainda no Brasil e no mundo ha muito preconceito com as pessoas surdas, sendo que os ouvintes não temos a capacidades que um surdo possui pois, eles podem captar tudo ao seu redor através do olhar e nós não valorizamos tudo que há ao nosso redor... Relato que tive a experiência de apreciar pessoas batalhadoras que fazem a sua vida e a dos outros surdos serem melhores e apreciadas por muitos. Agradeço por contemplar mais uma vez uma nova cultura, novas pessoas que batalham por que sonham.

    ResponderExcluir
  12. Um simpático e conveniente documentário sobre culturas surdas e suas respectivas comunidades. Depoimentos envolventes contribuem para essa obras que sem dúvida, será referência para futuros estudos e explicações na disciplina do entendimento através de libras. Com uma atitude igualitária, tem por iniciativa, enovar na abordagem e na dinâmica. Por meio de uma linguagem audiovisual "Ser É Ver Sentir" aborda as conquistas diárias que os surdos alcançam, pois pouco são as pessoas capacitadas, capazes de ter sensibilidade para perceber se entre nós existe ou não um portador de surdez. Parabéns aos diretores pela iniciativa.

    Kléber Prado
    3º Ano de Letras

    ResponderExcluir
  13. Este documentário exprime o quanto é importante observar que os surdos possuem uma cultura, que não são um bando de ignorantes que não sabem nada sobre literatura, teatro, dança, leitura e outros mais. Deve-se salientar que eles possuem uma cultura assim como as pessoas ouvintes, só que um pouco diferente, e a unica diferença é que eles usarão a língua de sinais, uma língua visual, que diferente da língua falada que usa diferentes tons de voz para se expressar, os surdos usam as expressões faciais e corporais para expressar determinado sentimento, portanto o documentário sucinta como a cultura dos surdos têm importância, assim como a dos ouvintes, com seus festivais, teatros, e até mesmo estudos científicos.

    João Pedro
    3º ano de letras

    ResponderExcluir
  14. O documentário “Ser é ver e sentir” nós traz uma nova visão em relação a toda a comunidade surda do mundo, nos mostra que eles são iguais a nós, usam o olhar em varias ocasiões como meio de escuta e as mão para falar, tornando-se assim pessoas como outra qualquer, que merece respeito e reconhecimento diante de toda a sociedade.

    ResponderExcluir
  15. O documentario assistido , foi muito importante para mim com ele aprendi varias coisas , que os surdos são visto como pessoas normais como nos , foi muito importante porque atraves do video tiramos toda a visão de preconceitos que temos com os sudos eles são pessoas normais , só se cominucam de maneira diferente ... Patrica miranda 4° ano pedagogia

    ResponderExcluir
  16. O documentário nos traz a ideia de como é a Língua de Sinais e é por meio desta que os surdos se comunicam e que devemos quebrar o preconceito que existe na sociedade, pois somos todos iguais.
    EDILSON FAGUNDES
    4º PEDAGOGIA

    ResponderExcluir
  17. O documentario relata de que a lingua brasileira de sinais é muito importante na comunicação entre os surdos,nós não devemos criar um preconceito,e sim se envolver juntamente com eles.
    Lilian
    4° de pedagogia

    ResponderExcluir
  18. BLACK
    Desde o nascimento o ser humano recebe milhares de estímulo ambientais que chegam atravéz dos órgãos do sentidos. A visão e a audição representam mais ou menos oitenta por cento destes estímulos. Sendo assim, o surdocego possui apenas vinte por cento de sua capacidade de perceber, compreender e comunicar-se, tornando um indivíduo isolado, que vive em seu mundo "BLACK".
    O filme Black conta a história da menina cega e surda, que cresceu sem conseguir se comunicar. O professor Debraj Sahai, contratado pela família, consenguiu, depois de muitas lutas, transpor obstáculos e tirá-la da escuridão. Michelle estudou e se formou em Artes.

    Alaide Madalena Ferreira.
    Pedagogia - 4° ano.

    ResponderExcluir
  19. O documentário nos mostra como é a vida das pessoas surdas, quais são seus desafios, obstáculos e principais dificuldades do seu dia-a-dia. Através do vídeo podemos observar que todos temos dificuldades e que depende do nosso desempenho e força de vontade para superar todas as barreiras.

    Daiele
    Pedagogia 4º ano

    ResponderExcluir
  20. Um documentário que nos apresenta as dificuldades e as realizações de uma pessoa surda no meio social, diariamente. Ainda existe entre nós o preconceito com a surdez e é isso que o video vem nos mostrar, que não devemos dar continuidade a esse tipo de conceito e sim procurar entender e nos envolver com esse tipo de dificuldade.

    LAIS PRISCILA MENDONÇA
    4º ANO PEDAGOGIA

    ResponderExcluir
  21. O documentário “Ser é ver e sentir” nós traz uma nova visão em relação a toda a comunidade surda do mundo, nos mostra que eles são iguais a nós.foi muito importante porque através do vídeo tiramos toda a visão de preconceitos que temos com os surdos eles são pessoas normais , só se comunicam de maneira diferente.Eles merecem nosso respeito e reconhecimento, devemos valorizar os surdos como o que realmente eles são, seres humanos comuns.
    Juliana Aparecida da Silva.
    4º ANO PEDAGOGIA.

    ResponderExcluir
  22. O documentário que assistimos, nos faz ver a realidade das pessoas com a deficiência auditiva e como nós devemos nos comportar diante deles. Faz a gente suprir todo o preconceito que existe, pois são seres humanos como a gente. Mostra para nós a dificuldade que eles passam durante os dias de suas vidas. O documentário é espetacular.
    Gustavo Mangini - 3º ano de letras.

    ResponderExcluir
  23. Através dos depoimentos, é possível compreender experiências linguísticas e sensoriais como domínios da Cultura Surda. Ser surdo é Ver-se, é Sentir-se, como mostra o documentário. Nos remete às dificuldades e obstáculos que nós temos que ultrapassar para entender esse universo recheado de preconceitos. É a força de vontade que move tanto os considerados excluídos quanto aqueles que deveriam entender melhor tais dificuldades. (Josy Patrícia Vicentin Bucater - 4º ano - Pedagogia)

    ResponderExcluir
  24. O documentário "Ser é ver e sentir" nos traz uma visão de como é importante saber se comunicar e não ter preconceito com as pessoas com a deficiência auditiva.

    E eles merece o nosso respeito, pois eles são como nós, e devemos valorizá-los, quais são seus desafios, obstáculos e principais dificuldades do seu dia-a-dia. Através do vídeo podemos observar que todos temos dificuldades e que depende do nosso desempenho e força de vontade para superar todas as barreiras.
    pois nós somos todos iguais.
    Jéssica Sanches Garcia.
    3º ANO DE LETRAS

    ResponderExcluir
  25. Este interessante documentário nos apresenta a visão dos mundo dos surdos, conhecer um pouco as dificuldades sofridas pela maioria deles na infância, e a fase de adaptação por ser diferente, e também e importante nós percebermos como apesar de todas as dificuldades que eles enfrentam eles são felizes e gratos, ele são compreensíveis a si mesmo e sempre estão tentando conseguir mais oportunidades para pessoas surdas. Valor que muitos ouvintes deveriam ser gratos, por ouvir, por ter a oportunidade de ter "tudo" de mão beijada, e muitas vezes esquece de ser feliz, e constrói muros ao seu redor.
    Resumindo, documentário muito bem feito e muito bem relatado, e meus parabéns ao pessoal surdo, pela força e determinação, eu como ouvinte os admiro.

    ResponderExcluir
  26. O documentário Ser é ver sentir, trás uma ampla forma de nos mostrar que os surdos não estão presos, amarrados a nada e nem a ninguém hoje eles saem, namoram, vão para a balada, são pessoas cada vez mais livres e que não barreiras para eles, não há preconceito capaz de desmotiva-los.
    Muitas vezes nós ouvintes nos entregamos a problemas a situações tão bobas e derre pente vem esses anjos todos iluminados e nos mostra que com força de vontade, garra e determinação tudo é possível, os surdos são pessoas fortes guerreiras, esse documentário é uma lição de vida!

    ResponderExcluir
  27. Muito bom o documentário, que nos mostra a liberdade alcançada através dos sinais, muito bom o modo como nos é apresentado no documentário, deixando no silêncio obtendo como meio de comunicação somente os sinais ou a legenda, dessa forma nos leva a observar a importância do olhar,nos sensibilizando para a visão, ver as legendas ou os sinais e assim entender o que é dito, e se sensibilizar valorizar o poder da comunicação e no caso de sinais é essencial para a comunicação dos surdos, bem como para a vida deles, pois nesse caso é possivel viver, sair, namorar e etc.. enfim viver com prazer em viver com dignidade. Tenho plena convicção da necessidade dos sinais, não somente para comunicação, mas também como reconhecimento como pessoa e suas diversidades, reconhecimento do mundo e com isso valorização e auto- estima para os surdos.Muito bom o filme que ao meu ver quebra conceitos equivocados de muitos, e reforça a luta contra o preconceito, valoriza o ser humano que é surdo e mostra suas potencialidades e experiência de vida, e vamos pra luta camarada que eu também carrego essa bandeira.

    ResponderExcluir
  28. "ser é ver sentir" nos mostra a dificuldade encontrada pelos deficientes auditivos,os desafios deles, nos mostra como eles se comunicam, nos mostra como agir diante deles e se comunicar com eles.
    Esse documentário me fez ver o mundo de outra forma,e com que acabe esses preconceitos é um documentário espetacular adorei...
    Juslei Fernanda da Silva do Nascimento
    3° ano de Letras

    ResponderExcluir
  29. É sempre muito gratificante o encontro com a repercussão de "Ser é Ver Sentir". Muito obrigado pelo reconhecimento e incentivo de todos vocês!!! Ficamos felizes que tenha se deparado com o nosso documentário e que tenha apreciado a nossa abordagem, professora Andresa Vaniele. Abraço :)

    ResponderExcluir
  30. Olá Diário de bordo!
    Realmente o vosso documentário é brilhante, digno de ser compartilhado!!! Parabéns pela produção!!!!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  31. No documentário "Ser é ver sentir" relatado em sala de aula também, observa-se que as pessoas vivem cheias de harmonia e comunicação de igual para igual, elas descobrem a verdadeira joia que se esconde as vezes por trás de uma aparente frieza a dedicação de aprender é infinita, eles não conseguem viver sozinhos, portanto eles estão sempre em busca do parceiro ideal. Ser diferente é normal.Entende-se que nem tudo é o que parece ser pois dias confusos todos vão ter , não espere o tempo lhe ferir para perceber os motivos por não lutar, pois mesmo com as dificuldades deles estão sempre ali determinados , firme e forte ..A luta é grande mais o sabor da vitória vem logo depois, pois com Deus não existe obstáculos intransponíveis.Ele é a nossa fortaleza e nossa perfeição.Esta foi a conclusão que cheguei do trabalho elaborado. Bárbara Barbosa de Lima. 3º Ano de Pedagogia. 6º Semestre.

    ResponderExcluir
  32. Compreendi que neste interessante documentário sobre as Instituições, comunidades e culturas de deficientes auditivos, o filme “Ser é Ver Sentir” relata e promove a importância e o valor da cultura surda. A luta deles pela liberdade é grande, mas conseguida através dos sinais, com muita divulgação e vários encontros. Marcas culturais em relevo, que põe o espelho, para que os sujeitos com deficiência auditiva definam como se vêem. Através dos depoimentos, é possível compreender sua experiência linguística e sensorial como domínios da Cultura Surda. Ser surdo é Ver-se, é Sentir-se. Portanto no meu ponto de vista, a maior e mais absoluta verdade é que somos todos diferentes, por isso, somos únicos e individuais! e é isso, o que nos torna mais especiais. Dirce Valencio Barbosa. 3º Ano de Pedagogia, 6º Semestre. UNIESP/FJB. 02 de Setembro de 2014. 11:55h.

    ResponderExcluir
  33. O Documentário relata que os surdos não conseguem viver sozinhos eles precisam de alguém para comunicar , para sentir feliz , a Língua de Sinal Brasileira são muito importante eles sentem capazes de comunicar com várias pessoas, arrumar um trabalho, namorar, na minha opinião eles não podem viver isolado e nem excluídos da sociedade por causa que eles são surdos, eles tem o mesmo direito que nós, trabalhar, namorar, em frequentar os mesmos lugares exemplo andar na rua sozinhos, ir no cinema ,no supermercado, eles prestam uma atenção nas palestras , claro quem tem a interprete que traduz com sinal de libras, mais eles sentem emocionados por eles estão juntos com pessoas ouvintes, eu admiro -los . ,Letícia 6 Semestre de Pedagogia

    ResponderExcluir
  34. E um documentário onde a maiorias das pessoa são surdas, e elas lutam com unhas e dentes pelos seus direitos, mostrando que elas não são diferentes de outras pessoas só apenas tem uma dificuldade de ouvir, mas elas, conseguem fazer tudo que uma pessoa”normal” faz e cada pessoa do vídeo da seu depoimento de como é e foi sua vida, suas dificuldades e conquista, e mostra para sociedade que o preconceito e muito pequeno perto da força de vontade que todos tem, e tão maravilhoso e gratificante ouvir e ver essas as historias de vida.
    mônica aparecida procópio 3 ano de pedagogia 6 semestre

    ResponderExcluir
  35. Este documento "Ser é ver e sentir" nos monstra que nós somos capazes de mudar o mundo e vê-lo diferente, acabar com esse preconceito onde a sociedade deixa a desejar e apoiar ainda mais a Língua Brasileira de Sinais e mostrar que eles tem o mesmo direito que nós cidadão..Márcia Regina dos Santos, 3 Ano de Pedagogia 6 Semetre, UNIESP/FJB.

    ResponderExcluir
  36. muito interessante o documentário, mostra que uma pessoas com deficiência pode ter uma vida "normal" como qualquer um, a diferença é que eles aprendem de outra forma, com métodos diferenciados e o que pra nós considerados " normais" é tão importante pra eles nem tanto assim eles vivem até melhores do que nós se formos ver, pois superam suas dificuldades com heroísmo e determinação, enquanto muita gente por causa de uma unha quebrada já pensam em desistir. Adorei o vídeo, por não conviver muito com essa realidade ás vezes achamos que as pessoas com deficiência não podem participar de palestras e muitas outras coisas e a realidade é bem outra tanto eles assistem como também dão palestras e frequentam teatros e tudo o que as pessoas "normais" fazem e talvez até melhores por terem muita garra e determinação. O video nos mostra que devemos incentivar e acolher as pessoas que tem qualquer tipo de deficiência. Lais Alves de Oliveira 6 ° semestre de pedagogia.

    ResponderExcluir
  37. CONTINUAÇÃO DO COMENTÁRIO.....Cada dia fico mais encantada com essa realidade que está em todos os lugares do mundo, mas infelizmente muitas pessoas não sabem lidar com isso e prejudica de certa forma ou muitas vezes até se afasta por acreditar que as pessoas com deficiência não pode ocupar o mesmo lugar que as pessoas consideradas "normais", ainda bem que a cada dia que passa essas pessoas estão conquistando cada vez mais o seu espaço e respeito dentro da sociedade, a qual discrimina e têm muitos preconceitos mas devemos observar que não existem pessoas "normais e nem perfeitas" e sim pessoas dispostas a mudar a própria realidade, basta querer. Isso que o video mostra.

    ResponderExcluir
  38. O documentário " Ver é Ser Sentir", nos mostra como os Surdos são capazes como uma pessoa ouvinte, que não só porque não ouvem não tem a mesma capacidade de sonhar e realizar seus objetivos, e que muitos dos surdos são muitos mais capazes do que nós ouvintes. Os surdos tem apenas uma forma diferente de comunicar, eles se comunicam com as mãos e ouvem com olhos, e que não se deve haver preconceitos por conta disso, afinal SER DIFERENTE É NORMAL...

    Lelianí Silva 6º Semestre - Pedagogia

    ResponderExcluir
  39. Ao refletir sobre o documentário "SER É VER SENTIR", ressalta sobre a importância de Libras na vida das pessoas Surdas, pode-se perceber que a utilização da Linguagem Brasileira de Sinais, é um meio riquíssimo de garantir a preservação da identidade Surda, contribuindo para a valorização e o reconhecimento de sua cultura.
    Desde a antiguidade os Gregos e os Romanos, não consideravam os Surdos como seres humanos, pois acreditavam que eles não poderiam pensar, e para eles, quem não pensavam não era propriamente dito como “Normal”, ainda existem pessoas que é influenciada e criam obstáculos entre a tão famosa e cruel palavra “Preconceito”. Porém a cultura Surda precisa ser valorizada, precisa ser incluída na sociedade por todos, a Libras vem prevalecendo à inclusão social dos Surdos, desprezando toda maneira de discriminação e preconceito com esse grupo que sofreu por um longo tempo devido à ignorância e visão equivocada dos ouvintes.
    Dessa maneira podemos concluir que a utilização de Linguagem Brasileira de Sinais deve ser cada vez mais popularizada e incentivada nas escolas e em toda a sociedade, colaborando para a melhoria de qualidade dos Surdos, assegurando os direitos como cidadãos e o respeito às diferenças.

    Talita Felix
    6º semestre de Pedagogia - UNIESP
    José Bonifácio/SP.

    ResponderExcluir
  40. Documentário "Ver é Ser Sentir":

    O documentário “Ver é Ser Sentir", aborda a igualdade social perante pessoas ouvintes e surdas. Afirmando sempre que, somos todos iguais em um mundo diversificado, com culturas, raças, crenças e religiões diferentes. Independente da forma como nos comunicamos, seja ela pela boca ou mesmo pelas mãos, se usamos os ouvidos ou os olhos para identificar a comunicação, temos os mesmo direitos na sociedade como cidadãos. Direito de protestar, de usufruir de lugares públicos e principalmente o direito de sonhar e correr atrás dos nossos objetivos. E o documentário enfatiza que, pessoas com algum tipo de deficiência pode ter sua vida ativa normalmente como qualquer outra pessoa, e o que nos diferencia é apenas o método de comunicação e a acessibilidades para determinada deficiência. E tanto para os deficientes, como para pessoas “normais”, mas não perfeitas, é muito importante a convivência no dia a dia, quebrando assim o preconceito e discriminação. No documentário podemos perceber que, muitas vezes, deficientes auditivos são capazes de coisas que nós ouvintes não somos. E que mesmo com deficiência são pessoas felizes e realizadas. No meu ver esse vídeo é de extrema importância e todos deveriam assistir e se conscientizar, agindo com um ato de solidariedade. “Ver é Ser Sentir” relata que pessoas com deficiência auditiva lutam pelos seus direitos e igualdade social, e eu apoio essa luta sempre, pois cada um tem seu jeito, sua forma de pensar, sua forma física, e personalidades, mas os direitos são os mesmo. E através de depoimentos, deficientes auditivos relatam suas experiências na sociedade, mostrando assim, que eles como qualquer pessoa pode frequentar uma faculdade, trabalhar, participar de palestras, e áreas de laser. Devemos então com respeito e dignidade estar sempre ao lado dessas pessoas, incentivando-os a lutarem pelos seus direitos e correrem atrás de seus objetivos. Pois a vontade de vencer é muito maior que o preconceito e a discriminação.

    Mariana da Costa Pereira – 3º ano/6º semestre – Pedagogia – UNIESP-Faculdade de José Bonifácio.


    ResponderExcluir
  41. o documentário ser é ver sentir, me mostra uma realidade na qual eu com certeza tinha uma outra visão, é um documentário muito interessante mudou muito a minha forma de pensar sobre uma pessoa surda, percebi que essas pessoas podem ter uma vida ``normal`` assim como uma pessoa ouvinte. Cada dia que passa fico mais encantada com o mudo de pessoas com surdez a forma de se comunicar entre si é muito interessante é uma forma da qual quero aprender cada dia mais. Ao assistir o documentário fiquei com muito mais vontade de aprender sobre o mundo de pessoas especiais pessoas na qual eu me apaixono na dia mais por ser uma realidade não muito diferente da nossa mais por ser uma vida por mais que tenham suas dificuldade são pessoas que vivem muito felizes. Esse vídeo me mostra que todos são iguais cada um tem sua forma de viver seja ela qual for. Na minha opinião todos que tem um certo preconceito deveria assistir esse vide.


    Maiara Cristina Francisco 6 semestre de Pedagogia Uniesp Jose Bonifacio

    ResponderExcluir
  42. O documentário SER É VER SENTIR, relata um novo mundo para nós, leigos no assunto, mas que agora , com novos conhecimentos , entendemos a comunidade surda.Participar desse mundo é fascinante , pois nos faz refletir sobre nossa vida, percebemos que todos somos iguais e podemos levar uma vida normal, oque nos difere dos surdos,é o modo que eles se comunicam ,no caso utilizam de LIBRAS. No mundo diversificado e inclusivo que temos nos adequar,podemos perceber o quanto a comunidade surda é unida e luta pelos seus direitos tendo orgulho da sua posição perante a sociedade.A LIBRAS vem somar, reforçar esse direito, proporcionando aos surdos a acessibilidade aos mais diferentes lugares como igrejas, faculdades, mídia, enfim, lugares que fazem parte do cotidiano e da vivência do ser humano, podendo levar uma vida normal com uma participação efetiva no mundo.Os surdos, assim como nós, ouvintes, somos iguais, capazes de fazer, sentir, pensar, expressar, somos únicos e ao mesmo tempo diferentes, temos erros, acertos como todos, o que nos difere é a forma como se comunicam, no caso : a LIBRAS.É uma comunidade que merece o devido respeito e compreensão, pois apesar de ainda estarem buscando , conquistando o seu espaço de maneira real e significativa no mundo, são pessoas especiais, não por sua particularidade ou dificuldade, mas sim por que podemos constatar que são pessoas que se aceitam como são, é a sociedade que os vêem com discriminação.

    Flávia Stefanini Barbosa,- 6º semestre pedagogia -UNIESP- José Bonifácio

    ResponderExcluir
  43. O documentário nos mostra uma realidade que para muitos não existe, porém para muitos esta realidade é bem vivida.
    Por não se comunicarem pela oralidade a língua de sinais é um dos meios mais eficazes. Nos mostrando que a falta de um sentido não é capaz de limitar o ser humano, porem nos mostra que, somos capazes de superarmos qualquer adversidade. O documentário nos faz ampliar nossos horizontes e refletirmos nossa maneira de pensar enquanto futuros educadores em relação a educação inclusiva.
    Contudo deve-se reforçar a importância de que a comunidade surda é dotada de direitos e sua luta pela igualdade social deve ser ampliada, cabendo aos profissionais tanto da educação como das demais áreas que esses direitos sejam efetivamente garantidos

    Juliana Souza da Silva Pires

    6º Semestre de Pedagogia Uniesp Faculdade de José Bonifácio.

    ResponderExcluir
  44. O documentário SER É VER SENTIR mostra o cotidiano dos surdos, como eles vivem e quais as suas dificuldades diante da sociedade ouvinte. Com tantos dificuldades eles levam suas vidas numa boa, as diferença entre nós visuais e os surdos é que eles falam com os mãos e escutam com os olhos.
    Com tantas dificuldades eles enfrentam a vida com clareza apesar das diferenças, as suas necessidades não impedem eles de se relacionar com o mundo.
    Hoje no mundo que vivemos ainda encontramos pessoas que não tem o conhecimento sobre deficientes auditivos, que eles são pessoas como nos e eles podem falar e ouvir de formas diferente mas ele podem.
    No documentário mostra que eles são pessoas felizes, que se aceitam da forma que eles são e vivem, não importa a dificuldades deles isso faz parte deles, os surdos não aceitam que tiram esse direito deles.

    Cleide Costa de Araujo, 6° semestre de pedagogia-UNIESP- José Bonifácio

    ResponderExcluir
  45. Este documentário deixa bem claro que a diferença entre ouvintes e os surdos, é somentes o tipo de linguagem usada, eles são totalmente tão capazes quanto um ouvinte, usando sua lingua de sinais que a cada dia ganha mais espaço e acessibilidade, apesar de muitos obstacúlos que ainda enfrentam, mas lutam com toda força por seus direitos. Libras é uma linguagem que deve ser totalmente acessível a todos os surdos, pois assim trará total facilidade no dia a dia entre eles e a sociedade, assim também os ouvintes teriam que ter um acesso mais facil a lingua de libras, para uma total comunicação. È inaceitável que ainda exista preconceito com pessoas surdas, achando que são menos capazes, são ignorantes do assunto, já que estudando sobre isso, vejo que são tão capazes quanto os ouvintes e admiro muito todos eles. Então todos nós que vimos esse vídeo "Ser é ver Sentir", devemos todo o respeito aos surdos pois são pessoas iguais a todas as outras, e precisamos divulgar para mostrar as pessoas o quanto eles tem a oferecer.
    Natália Muroni - 6º semestre Pedagogia

    ResponderExcluir
  46. O documentário "Ser é ver sentir", mostra um pouco sobre a vida cotidiana das pessoas surdas e portadoras de deficiência auditiva. Relatando que não há barreiras para esse tipo de deficiência, independente se elas enxergam ou não, se falam ou não, se são brancas ou negras, se são baixas ou altas, todos temos direitos iguais. O que pode mudar é o tipo de comunicação e métodos de aprendizagem. As pessoas ouvintes usam o método oral, as com deficiência visual, usam o Braile e as deficientes auditivas, a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), como mostra no vídeo. Podemos perceber também, que mesmo portadores dessa deficiência auditiva, conseguem ter uma vida normal; estudar, terem uma profissão, construir uma família. Através desses depoimentos no documentário, várias pessoas contam suas histórias de vida, uma delas não entendia o significado da oralidade, não entendi o porque usávamos a boca para nos comunicarmos, sendo que ela usava as mãos. Como isso, podemos observar, que com deficiência ou não, todas as pessoas tem direitos iguais, vontades no coração e batalham ao máximo para conseguirem o que almejam.

    Driele Firmino da Silva - 6º Semestre de Pedagogia - UNIESP/FJB

    ResponderExcluir
  47. O Documentário "Ser é ver sentir"Nos mostra como somos iguais com as nossas diferenças ,que existe ainda uma barreira entre as pessoas, e que todos nós temos nossoa valores independente de etnia,de gênero e da sua cultura ,as suas experiências de vida podem e deverão ser compartilhadas com os outros ditos"normais"e assim transferindo conhecimentos e ampliando a aceitação de todas as diferenças existentes e nem por isso somos melhores ou piores que alguém ,pelo contrário temos que aprender e compartilhar seus conhecimentos e seus saberes que não são poucos,e precisamos nos adequar de forma que possamos eliminar essas barreiras que ainda impedem muitas pessoas do convívio social e conseguir que façamos a adaptação do novo conceito de ser feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci meu nome é Nilena Fernanda Bigatão Brito Pereira
      6ºSemestre Pedagogia-FJB/Uniesp.

      Excluir

Obrigado (a) pela sua visita!!!!